Como escrever histórias de super-heróis

Marvel-Super-Heróis

                        Quem é que não gosta de uma boa história de super-herói? Seja ele com super poderes, como o Cósmico, Superboy, Lobo Cinzento, Super-homem, Wolverine… Seja ele sem poder algum, apenas portador da vontade de vencer e combater as maldades mundanas, como o Batman, Robin Hood, Dean Campbell, Homem-de-Ferro… E até mesmo super-heroínas, como a Fênix, Vampira, Tempestade, Emma Frost, Viúva Negra, Psilocke, Elektra, Mulher-maravilha, dentre muitas outras.

                      Um/a super herói/a é aquele ou aquela que sai dos padrões normais para lutar contra o mal, contra os vilões e as vivencias injustas, por isso, não é necessário que o mesmo/a tenha algum tipo de poder, mas sim, a vontade de tornar o mundo mais pacifico, e por muitas vezes, sendo portador de objetos característicos, como roupas e disfarces “Heróicos”, e armas de vários estilos que os possa ajudar nas batalhas que aparecem, dentre arco e flecha, espadas, machados, revolveres, sabre de luz, lâminas, chicotes, capa, roupa ninja, escudo…

                      Mas quando o assunto é escrever sobre eles/as, porque é tão difícil? Principalmente num mundo onde esse tema é bastante popular? Super-popular se me permite o trocadilho.

                     E eu respondo agora, em nível de Brasil é claro… Sabe por que não temos o hábito de escrever sobre Super heróis/as?  Por conta do preconceito!

                     Isso mesmo, o preconceito. Nós somos um povo injusto e preconceituoso, alguns é lógico, mas infelizmente quase que a maioria. Temos o hábito de não acreditarmos em nós mesmos, não acreditamos que também existem brasileiros/as capazes de fazerem histórias tão empolgantes quanto às pessoas dos outros países. Sempre criticamos o governo, a educação, as outras pessoas, quando na verdade, nós que somos o problema.

                   Temos que aprender a deixarmos de sermos tão críticos, para fazermos o melhor que pudermos. Não adianta reclamar que não a escritores/as bons de Ficção cientifica no Brasil, de super-heróis, de horror, romance… O que pode mudar isso, é largamos nossos preconceitos de mentalidade pequena, para pormos a mão na massa e começarmos a escrever obras dignas de qualquer lugar no universo.

                  E para isso, a seguir algumas dicas para ajudar aos novos escritores de FC, seja em HQs, Gibis, livros… Ou até mesmo roteiros de filmes e seriados.

1 – Ler, ver e assistir: Veja, leia, escute e se envolva em tudo que esse tema estiver envolvido, veja documentários, filmes, seriados, séries, curtas, desenhos, animes, panfletos de loja, roupas, qualquer coisa. Tudo o que você puder “analisar”, é valido, como roupas que você pode imaginar para seus personagens, tipos de corpo, cabelo, etc.

2 – Crie um roteiro: Tudo necessita de um roteiro, seja uma musica ou até mesmo uma história em quadrinhos sem fala alguma, pois isso não importa, já de que qualquer modo, será uma aventura que você estará contando, e sem roteiro, sem aventura. Adicione o máximo de detalhes que puder. Ajuda se escrever alguns tópicos para não se perder, como, “Parte 1: Julia ganha seus poderes”, “Parte 2: Julia é atacada por seu pior inimigo”, etc.

3 – Crie seus personagens: Construa personagens que marquem, que deixem saudade. Nada de personagens superficiais, e se caso forem, explique o porquê de serem. Dê nome e sobrenome, idade, altura, peso, cor da pele, dos olhos, o que aconteceu para ele entrar na história, qual é a importância dele/a, tem poderes, não, é principal, é apenas “figuração”…

4 – Pesquise sobre poderes: Quando já estiver com os personagens prontos, adicione poderes a eles, seja poderes reais, como bondade, honestidade, amor, dignidade, agilidade natural, sedução natural, ou seja poderes fictícios, como super-força, pirocinese, necromancianese, etc.

5 – Crie o ambiente: Você agora tem que escolher aonde sua história vai se passar, na terra, na terra, mas num outro tempo, em outro mundo, em outro planeta, ou quem sabe num universo paralelo ao nosso. E se for na terra, existem personagens de outro lugares, de outros mundos, de outras galáxias, de outro reinos. E eles vão se parecer com humanos, com uma mistura humanoide com animal, com objeto, vão ser de carne, de ferro, de fogo, água…

6 – Faça o que quiser: O bom de escrever as “Three F”, ou como preferir, as 3F, (Ficção científica, Horror e Fantasia), é que não existe regras, não é como as outras que tudo tem que fazer sentido, que tudo tem que ser o mais real possível. Pelo contrario, o legal de escrever tais temas é poder inovar, usar a criatividade o máximo que puder. Faça sua história totalmente de sua maneira, não copie as dos outros, crie novas… Quem sabe um vilão que na verdade é um olho gigante mutante que foi modificado biologicamente? Ou quem sabe uma mocinha totalmente fora dos padrões, como uma demônia do bem, ou uma colher bondosa? Ou talvez, uma história onde quem é considerado vilão, para nós no mundo normal, como assassinos e psicopatas , lá é tido como um herói…

Mas no final de tudo, para uma história ficar boa, seja de qual tema for, é necessário dedicação e amor! Como dizem, “99% de transpiração, e 1% de diversão”

                                                                                                                                                                        Namastê!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s